MUNDO – A Versão Satânica de Um Paraíso Alternativo

Postado por: Benne Den | Em: julho 13, 2016 | 0 Comentário

 

 

Eu lhes dei a tua palavra; e o mundo os odiou, porque não são do mundo, assim como eu não sou do mundo.  Não rogo que os tires do mundo, mas que os guardes do Maligno.  Eles não são do mundo, assim como eu não sou do mundo.  Santifica-os na verdade, a tua palavra é a verdade.  Assim como tu me enviaste ao mundo, também eu os enviarei ao mundo. (Jo 17:14-18)

 

Mundo – A Versão Satânica de Um Paraíso Alternativo

 

I. Definindo o termo “mundo”

Ao estudarmos o tema mundo, é muito importante que entendamos os vários usos dessa palavra na Bíblia. Há, pelo menos, três usos principais.

 

Mundo – O universo

Este é o mundo bonito criado por Deus – “O Deus que fez o mundo e tudo o que nele existe” (At 17.24). “O Verbo (Jesus) estava no mundo, o mundo foi feito por intermédio dele” (Jo 1.10).

Mundo – Todos os seres humanos

Sendo o homem a parte mais importante do universo, a palavra “mundo” é mais usada para significar “a humanidade”. Deus amou ao mundo (Jo 3:16). Foi este mundo de homens e mulheres de carne e sangue que “Deus amou” (Jo 3.16) e para o qual“enviou seu filho” … “para que o mundo creia…” (Jo 17.21).

Mundo – O sistema social em oposição a Deus

O mundo que Deus criou para refletir a Sua glória está hoje em rebelião contra Deus. O Mundo aqui é a versão de Satanás de um “Paraíso Substituto”, onde o homem pode viver independente de Deus.

1 Jo 5: 19 Sabemos que somos de Deus, e que o mundo inteiro jaz no Maligno.

I João 2.15 “Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele”

 

II. Que Mundo Não Devemos Amar? 

  • O que não  devemos amar  é o sistema organizado e manipulado por Satanás que exclui Deus  e está na realidade se opondo a Ele (João 12:31; 14:30; 16:11).
  • 1 João 5. 19: Sabemos que somos de Deus e que o mundo inteiro jaz no Maligno. Jaz: Essa expressão significa estar sob o poder do mal, ser mantido em submissão pelo diabo. Indica “alguém” que aceita o domínio do mal e o aprova.
  • O mundo que não devemos amar são as ideias e práticas da humanidade pecadora e de espírito rebelde contra Deus.
  • O mundo que não devemos amar  é contrário à vontade de Deus, e oferece as mesmas tentações que fizeram Eva pecar, e com as quais o diabo tentou o Senhor Jesus.
  • O mundo que não devemos amar é essa versão satânica de um paraíso alternativo, onde o homem é iludido a viver independente de Deus, correndo atrás de sua felicidade.

O amor ao mundo é o oposto ao amor a Deus: não existe lugar no meio, pois se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele.

 

 

III. A atitude do mundo para com o Deus triuno

Deus Pai

o mundo não o conheceu” (1Co 1.21)

Cristo – o mundo odeia a Cristo

Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós outros, me odiou a mim” (Jo 15.18; veja também Jo 7.7).

Espírito – O mundo não pode receber o Espírito (Jo 14.17)

 

Assim, descobrimos que a atitude do mundo para com Deus é a de oposição.

Jesus disse: “O meu reino não é deste mundo” (Jo 18.36). “Eu venci o mundo”(Jo 16.33).

O mundo está sob o julgamento de Deus: “Chegou o momento de ser julgado este mundo, e agora o seu príncipe será expulso” (Jo 12.31).

 

IV. Dominantes deste mundo (1 Jo 2.15-16)

João, nesta epístola, começa a descrever “tudo que há no mundo” que não presta.

 

Concupiscência da carne

É o apetite pela satisfação das paixões carnais. As tendências contrárias à vontade de Deus.

Concupiscência dos olhos

É o apetite pelo estímulo exterior. Este é o desejo que leva a pessoa a desejar e possuir tudo que é atraente aos seus olhos. “Eu o vejo, eu o quero, eu vou consegui-lo”. Este é o pecado que a mídia explora.

Soberba da vida

Quando o homem não aceita sua dependência do Criador e age com se fosse o senhor e doador da própria vida. Como crentes, muitas vezes, nos tornamos cegos a este tipo de pecado.

 

 

V. Não ameis o mundo (1 Jo 2.17)

 

O problema com o mundo é que ele atrai e seduz, ilude, engana e destrói. Ele não obedece a Deus, não O ama; o mundo  afasta o homem de Deus e o leva ao inferno.

É possível estar no mundo sem pertencer a ele? (João 17:11,14). Sim!

 

A cultura do mundo é anti-Deus, e é por isso que nós, os filhos de Deus, não podemos amar o mundo.

“Infiéis, não compreendeis que a amizade do mundo é inimiga de Deus? Aquele, pois, que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.” (Tg 4.4).

 

Antes de sermos salvos, andávamos “segundo o curso deste mundo” (Efésios 2:2). Antes costumávamos obedecer ao sistema do mundo, viver nele, e apreciá-lo, mas agora somos filhos de Deus, sabemos que o mundo  está caído, corrompido, cheio de ganância, ambição egoísta, sensualidade, engano, mentiras e perigo.

 

É interessante notar que as atrações do mundo não somente não satisfazem, mas não duram muito tempo – “Ora, o mundo passa, bem como a sua concupiscência” (v.17). Por que o crente, que é herdeiro da vida eterna, concentra suas ambições e interesses em algo que é tão passageiro e inconfiável? Por causa disso, João nos desafia a respeito da maneira que estamos vivendo hoje.

 

Se amarmos o mundo, não podemos amar o Pai. Em outras palavras, João está nos perguntando: De quem você é amigo? Do mundo ou de Deus? Os dois são mutuamente exclusivos como objetos do nosso amor.

 

Paulo disse: “Mas longe esteja de mim gloriar-me, senão na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim, e eu, para o mundo” (Gálatas 6:14).

 

Uma cruz  separava Paulo deste sistema mundial satânico, e o apóstolo se gloriava nessa cruz mediante a qual o mundo havia morrido para ele, e ele para o mundo.

 

“Aquele, porém, que faz a vontade de Deus permanece eternamente”(v.17).

 

Quem faz a vontade de Deus mostra que realmente ama o Pai.

 

Os seguidores do mundo compartilham a condenação e a morte do sistema deste mundo. Os filhos de Deus compartilham a vida eterna.

 

O mundo está passando – vai chegar a um fim, assim como as trevas vão se dissipar. Mas aquele que persevera em fazer a vontade de Deus permanecerá eternamente; tem estabilidade, e vai durar por toda a eternidade.

 

 

Conclusão

Que pode ser enviado ao mundo (pessoas)? Que não ama o mundo (sistema de coisas) anti-Deus, mas ama profundamente o Pai ao ponto de fazer a Sua vontade.

O desafio que enfrentamos é decidir se o princípio que governa a nossa vida é fazer aquilo que queremos, ou obedecer à vontade de Deus e seguir Seus propósitos.

Sobre o Autor

Pastor-Sênior da Comunidade de Nova Vida em Itapajé-Ceará. Maiores informações: http://www.benneden.com/benneden.htm http://www.novavida.net/pastores

Comentários

O artigo ainda não foi comentado

Adicionar um Comentário